Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘cultura’

 

A sociedade de consumo transformou a noção de arte e cultura. Hoje tudo tem de ser rentável e a indústria cultural se apropria dessa verdade vendendo clichês, produtos uniformes, “porcaria” e a sociedade aceita com sorriso nos lábios. Daí, a cultura de massa deixa de ser uma verdadeira cultura e passa a ser business, uma indústria que se baseia na padronização e na produção em série. Os novos bens materiais estão acompanhados de uma desesperadora simplicidade, capaz de solicitar o menor esforço por parte do público.

E o que poderia nos salvar? Salvar-nos das indústrias culturais impostas pelos que mais tem poder? Os editais poderia ser uma boa opção. Ah, os editais, pois me parece que esse tanto de editais por todos os lados, públicos e privados, serviriam para descentralizar, estimular o aparecimento e dar visibilidade a novos artistas. Artistas dos bons que não possuem dinheiro, estrutura e capacidade de gestão para levar suas idéias/criações adiante.

No entanto, os editais hoje, também atuam como mercado de arte e cultura estabelecendo suas regras, visando lucro e visibilidade de suas marcas. Se adéqüe ou caia fora. Nesses casos, não é o talento que interessa afinal o artista contemporâneo não é somente artista, é o tal do proponente, o captador de recurso, o especialista em elaboração de projetos com conhecimentos de processo público e interpretação de leis. Essas várias facetas do artista acabam interferindo no seu fazer artístico?

Os editais apenas conferem um ar de celebridade, de qualidade, de lisura, de transparência. É a tal da etiqueta das obras. É a corrida dos “caçadores de editais” que se importam com o “lucrar arte” e não exatamente com o “fazer arte”.

Infelizmente, a cultura está sendo vista por alguns artistas e/ou produtores como um agente de estímulo à economia. E quem deveria garimpar e realmente selecionar isso seria os gestores/ selecionadores que estão nos bastidores dos editais.

E aí eu pergunto: os gestores/selecionadores estão aptos a isso? Eles realmente se importam e avaliam os projetos?

Pode se afirmar que hoje existem dois pólos de artistas? Os que criam a “arte comercial” sujeita às preferências do público e orientada para o sucesso imediato, e os que criam a arte pura e vanguardista recusando as formas de consagração burguesa e as leis do mundo econômico? Será? Cadê? Será este meu um grito solitário?

Assistimos a uma mercantilização extrema da cultura, mas ao mesmo tempo, a uma culturalização do consumo e da mercadoria. E o que é pior, as pessoas estão aceitando essa arte como arte……… gato por lebre…..

Diferentemente das obras que continuam a comover os homens através dos séculos, a cultura de massa cria produtos estritamente efêmeros, feitos para não durar, apenas para o consumo e o lazer instantâneo. Se a cultura é o que deveria escapar ao desgaste do tempo criando obras eternas, a cultura de massa nem mereceria o nome de cultura, pois ela nada mais é do que uma das peças do universo mercantil.

A batalha já não é pela arte e cultura das boas e sim uma disputa pelo financiamento. Inaugura-se a era do marketing-cultural-governamental ou apenas capitalismo cultural, hoje em dia é a economia e seu poder multiplicador que se impõem como a inspiração principal da produção cultural.

Com toda essa corrida pelo dinheiro, pelo status e pelo exibicionismo será possível termos artistas que lembrem que a cultura tem por objetivo educar o homem, elevar o gênero humano e moldá-lo de maneira mais correta? Não, porque a cultura de massa que rege a sociedade hoje vira radicalmente as costas a esse ideal de aperfeiçoamento em nome do hedonismo individualista e do divertimento generalizado e se preocupa mais com as realidades comerciais do que com o espírito artístico.

Parece-me que está havendo uma perda da capacidade de produzir pensamento e ausência de pessoas seduzidas pela reflexão. Hoje tudo é aceitável….

Se estiver no edital, devo aceitar. Será?A essência dos artistas está se perdendo? Ou se transformando? Para pior? O artista deve se adaptar ao público, ou o público deve refletir sobre as obras do artista? Quem deve se deslocar?

Enquanto se discute as leis de incentivo à cultura, não se discute a idéia de cultura. Há um caos no que se refere ao financiamento público da cultura? Os selecionados são sempre os melhores? Quem disse? Pode-se culpar o dinheiro pelo nivelamento sócio-cultural que vivemos? Ele é capaz de reduzir a arte e a cultura à simples relação comercial?

O que fazer para vermos ressurgir a arte descolada do eixo econômico?

Socorro, preciso de Arte !!!!!!!!!

Como já dizia Adorno: “As obras de arte que se apresentam sem resíduos à reflexão e ao pensamento não são obras de arte.”

 

Read Full Post »

Para você que alguma vez teve vontade de aprender percussão !
Este é o convite, o bloco de rua mais alegre, fantasiado e florido do Rio de Janeiro inaugura sua Oficina de Percussão na Vila Madalena.

Download: http://www.4shared.com/get/X5Y7DhWY/Bangalafumenga_-_2009_-_Barrac.html

http://www.bangasp.com.br/

Ta em choque?
vito!

Read Full Post »

Este slideshow necessita de JavaScript.


Pesquisando na internet sobre o que é ter uma vida mais equilibrada e acreditar mais na auto-suficiência, achei um blog com essa “comunidade nômade” muito interessante! Além de terem uma filosofia de vida diferenciada, o estilo deles me chamou a atenção, vale à pena conferir!
Tudo começou em 1986 quando alguns punks de Londres resolveram protestar contra as políticas de Margareth Thatcher. Deixaram então Londres e foram viver no campo e com o tempo se tornaram uma grande comunidade. Eles viajam pelo país pregando idéias de liberdade contra “os demônios da vida moderna”, auto-suficiência e anarquismo.

 

Ta em choque?
vito!

Read Full Post »

DESCRIÇÃO
Dos mais respeitados graffiteiros do país, e um dos pioneiros do movimento na cidade de São Paulo, o artista plástico Alex Hornest, ou simplesmente Onesto, autor da obre que ilustra a capa da edição 05 da revista O MENELICK 2º ATO, é o convidado desta semana da série Encontro com o Artista, que visa aproximar o público das idéias, inspirações e referências dos artistas presentes na publicação.

DATA 11 DE JUNHO (SÁBADO)
HORÁRIO DAS 17H ÀS 19H
LOCAL CASA DA PRETA
ENDEREÇO RUA INÁCIO PEREIRA DA ROCHA, 293 I VILA MADALENA
ENTRADA FRANCA

Fonte:  http://omenelicksegundoato.blogspot.com/

Tá em choque?
GABI/VITO!

Read Full Post »

%d blogueiros gostam disto: